Home Quem somos Espiritismo Nossos Cursos Programação mês
Home
Quem somos
Espiritismo
Nossos Cursos
Programação mês
Reunião Pública
Passes
Atendimento
O que é o ESDE
Estudos da DE
Grupo de pais
Grupo Juventude
Grupo Infância
Cura e autocura
Artigos
Notícias CEERJ
Efemérides
Pesquisa
Consulte-nos
ESDE Verão 2018

 

portas2  



“Alma irmã que estás chegando à Casa pela primeira vez, sê bem-vinda. Esta é uma Casa cujas atividades se
           baseiam no Evangelho de Jesus e na codificação
                               do Espiritismo por Allan Kardec ".(1)







O CENTRO ESPÍRITA

Coube a Hippolyte Léon Denizard Rivail,
pedagogo francês, realizar uma série de pesquisas, em meados do século XIX, almejando esclarecer certos fenômenos espirituais, erradamente chamados na época sobrenaturais. Como fruto de suas observações, organizou didaticamente as informações obtidas, tornando-as acessíveis a todas as pessoas interessadas em conhecer mais profundamente as relações existentes entre o mundo visível e o mundo invisível. Publicou uma série de livros, com o pseudônimo de Allan Kardec. É reconhecido como codificador do Espiritismo e não o seu criador.

Filiado ao CEERJ - Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro, o TAREFEIROS é uma Casa Espírita, cujos objetivos podem ser resumidos em estudar, seguir, praticar e promover os princípios básicos do Espiritismo ou da Doutrina dos Espíritos. Entre as suas atividades básicas destacam-se as reuniões públicas, as reuniões de estudo, as reuniões mediúnicas (privativas), a assistência espiritual e a promoção humana. Ao chegar à nossa casa, procure o coordenador da reunião que lhe dará as informações sobre as atividades que mais atendam às suas necessidades.



OS PRIMEIROS PASSOS
 

primeirospassosQuando passamos a frequentar uma Casa Espírita é natural surgirem dúvidas com relação a práticas e conceitos utilizados no Espiritismo. Termos como reencarnação, lei de causa e efeito, passes magnéticos, água fluidificada, perispírito, fluido universal, ectoplasma e outros, ditos com naturalidade pelos mais experientes, parecem fazer parte de um universo ainda desconhecido para nós iniciantes. Com o passar do tempo, as dúvidas vão sendo esclarecidas. Passamos, então, a observar melhor em nosso cotidiano a aplicação do que apreendemos nas palestras das reuniões públicas, nas sessões de estudos doutrinários e nas conversas com os outros companheiros. Mas, para se chegar a esse estágio de amadurecimento pessoal e espiritual, há necessidade de superar os primeiros obstáculos, os mais difíceis de serem vencidos. 

Os empecilhos mais comuns constituem-se no desânimo, na descrença, no medo, na desconfiança e, no principal deles, na fé insegura e vacilante. Não se preocupe! Assim como você, todos nós, também, passamos por isto. No entanto, tenha sempre em mente: “Aqui encontrarás inúmeros trabalhadores, aprendizes na arte de servir, a fim de serem felizes com a felicidade alheia. Estarão semp
re prontos a ouvir-te. Não suponhas porém, que pelo fato de estarem ligados a esta casa, os tarefeiros que encontrares estão isentos de provas e dificuldades. Assim como tu, eles lutam e sofrem, esforçando-se para superar a si mesmos, dentro dos problemas do mundo".(2) 


A REUNIÃO PÚBLICA(3)

As pessoas que começam a frequentar um centro espírita, em sua maioria, vêm na busca de auxílio, de amparo, de consolo e de esclarecimentos sobre o real sentido da vida. Acrescente-se a isso, uma minoria motivada em conhecer mais a fundo a Doutrina Espírita, seja por curiosidade ou por interesse intelectual. 

De qualquer forma, independente das razões que o trazem à nossa casa, as portas sempre estão abertas. Uma delas, para alguns a mais importante, é a reunião pública. Sua finalidade é promover e divulgar a Doutrina Espírita em seus aspectos científico, filosófico e religioso. Através de tais ensinamentos, as pessoas e os Espíritos desencarnados, a alma daqueles que deixaram esta vida, encontram alívio e respostas para as suas dores,  sofrimentos e dificuldades.

As palestras públicas são destinadas ao público em geral, com temas atuais, previamente programados, de acordo com as obras da Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese. A duração destas reuniões varia entre 50 a 60 minutos. 

Além dos frequentadores e dos temas doutrinários, os principais componentes de uma reunião pública são o palestrante, os tarefeiros ou trabalhadores voluntários, os passes, a água fluidificada e a ambiência física e espiritual do local da reunião. Vamos comentá-los, de maneira breve, só para você ter uma ideia geral sobre a importância de conhecer a Doutrina Espírita, para saber tirar proveito dos benefícios que o TAREFEIROS pode nos oferecer. 


O PALESTRANTE ESPÍRITA

Quando começamos a assistir às reuniões públicas, nos chamam atenção os oradores ou palestrantes espíritas no desempenho de suas exposições doutrinárias. Será que têm alguma formação especifica, de forma semelhante aos monges, padres ou pastores? Qualquer um pode assumir essa incumbência de falar em público? Que preparação precisam ter? Essas dúvidas, dentre outras, são pertinentes e requerem alguns esclarecimentos preliminares, para que o Espiritismo e, por extensão, a prática espírita sejam compreendidos por você.

Como diz um antropólogo, especializado no estudo das religiões, "o Espiritismo firmou-se como uma religião sem clero, com forte autonomia em suas bases".(4) Dito de outra forma, sem haver uma hierarquia subordinando as instituições espíritas a um poder central, tem-se uma "religião de leigos", formada por pessoas comuns, como donas de casa, médicos, estudantes, pedreiros, professores, bancários, militares, advogados, manicures, aposentados, etc.(5)  
 
Não há um perfil ideal. Em princípio, qualquer pessoa pode assumir a tarefa de expositor. No entando, o que o distingue para tal função é a sua identificação com os propósitos espíritas, sua vontade de estudar e de compreender a doutrina e facilidade em transmitir os seus conhecimentos com didática, sinceridade, entusiasmo e, acima de tudo, muita humildade. Certamente é interessante constatar que a nobre tarefa de levar ao público a mensagem cristã, juntamente com os ensinamentos espíritas, exige do palestrante preparo, aptidão, abnegação e esforço para ser portador de bons exemplos daquilo que se propõe dissertar. 

No TAREFEIROS, nossos palestrantes são, via de regra, participantes
do ESDE - Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita. E, periodicamente, passam por atualizações em nosso Programa de Formação e Desenvolvimento de Expositores Espíritas. Evidente que há os autodidatas e, também, aqueles que são convidados de outras casas espíritas. 


PASSE E ÁGUA FLUIDIFICADA

"O Passe, à luz da Doutrina Espírita, é uma transmissão de energias fluídicas de uma pessoa – conhecida como médium passista – para a outra pessoa que as recebe, em clima de prece, com a assistência dos Espíritos Superiores."
(6)

Os passes são ministrados após o término da explanação doutrinária,  em salas destinadas para este fim ou no próprio local da reunião pública. Você não é obrigado a tomar o passe, caso não sinta a real necessidade. Lembre-se "é
falta de caridade abusar da bondade alheia”.(7) 

Evidente que você não será impedido de receber o passe, mas os coordenadores da reunião, antes da transmissão dos passes, darão as orientações adequadas sobre o que é o passe, quando e como recebê-lo, principalmente para os novos frequentadores. Jesus nos afirma que “(...) os são não precisam de médico, e, sim, os doentes.” (Lucas, 5:31). 

Antes dos passes começarem, é feita uma prece preparatória por um dos trabalhadores da casa. Nesse momento, é comum utilizar-se música suave para manter a paz e a harmonia no ambiente. Após o passe, você poderá receber um copo descartável com água fluidificada, que é uma água normal acrescida de fluidos medicamentosos, cuja adição é realizada por Espíritos mentores da reunião.


A AMBIÊNCIA DA REUNIÃO

O ambiente onde será realizada a reunião pública é preparado previamente no plano espiritual pelos Benfeitores espirituais participantes da tarefa. Cabe a nós, trabalhadores e frequentadores, colaborarmos também na preparação da ambiência no plano material, procurando manter silêncio, nos deixando conduzir pela suavidade e paz da música que normalmente é tocada antes da palestra começar.

Inicialmente, é feita a leitura de uma página doutrinária espírita, acompanhada de um breve comentário. Após, então, é proferida a prece inicial.

Dá-se início à palestra ou conferência doutrinária, com duração entre 50 e 60 minutos. Ao término da explanação, o ambiente é colocado à meia-luz e preparado para o momento dos passes.

Finalmente, desejamos que você encontre em nossa casa o farol útil para iluminar a sua missão nessa jornada evolutiva.





Conheça a nossa programação mensal de reuniões públicas,
acessando a página correspondente.


(1) Levy, Clayton. Diretrizes Espíritas, [psicografado por] Clayton Levy, [ditado por] Espíritos Diversos. Campinas, SP: Allan Kardec, 2007, p. 41. Desde 1995, dirige a Creche “Gustavo Marcondes”, um dos departamentos assistenciais do Centro Espírita “Allan Kardec, Campinas SP. Psicografou as obras A Mensagem do Dia, Novas Mensagens, Vida e Renovação, Sublime Convite, Diretrizes Espíritas, Cartas do “Seu” Gustavo, Mediunidade e Autoconhecimento, O Homem de Bem, Convite à Paz, Convites de Sheila, Deus Contigo, Mediunidade e Libertação, Jesus Ainda e Sempre.

(2) Ibidem.
(3) FEB, Federação Espírita Brasileira, Orientação ao Centro Espírita, 2006.
(4), (5) dos Santos, José Luiz, Espiritismo: uma religião brasileira, São Paulo, Moderna, 1997.
(6) FEB, ibidem.
(7) André Luiz, espírito, Conduta Espírita, psicografia de Waldo Vieira, capítulo 28.


Site Map